Estudando Línguas e Temas Diversos


Visite o Canal Estudando Línguas e Temas Diversos (Powered Leco) e assista nossas videoaulas


sexta-feira, 23 de maio de 2014

Umberto Eco Top livros



O Pêndulo de Foucault
 
Casaubon, Belbo e Diotallevi são redatores da editora Garamond, o início de1980. Cansados da leitura e releitura de incontáveis manuscritos de ciências ocultas, eles acabam encontrando os indícios de um complô que teria surgido em 1312, e atravessado, encoberto, toda a história do planeta até o fim do século XX. Aborda questões contemporâneas como a emergência do irracionalismo high-tech, as síndromes do final do milênio, o mundo dos signos e os segredos da História. Aliando a tudo isto, muito suspense, ocultismo e crimes misteriosos. Eco sabe ser ao mesmo tempo erudito e bem humorado. 


O nome da rosa


Durante a última semana de novembro de 1327, em um mosteiro franciscano italiano, paira a suspeita de que os monges estejam cometendo heresias. O frei Guilherme de Baskerville é, então, enviado para investigar o caso, mas tem sua missão interrompida por excêntricos assassinatos. A morte, em circunstâncias insólitas, de sete monges em sete dias, conduz uma narrativa violenta, que atrai por seu humor, crueldade e sedução erótica. Leitura fundamental, hoje é um clássico.


Não contem com o fim do livro

Do papiro ao arquivo eletrônico, Umberto Eco e Jean-Claude Carrière atravessam 5 mil anos de história do livro em uma discussão erudita e bem-humorada, curiosa e de bom gosto. Os autores se divertem mostrando como o livro atravessou a história da humanidade, para o melhor e às vezes para o pior. Homenagem divertida a Gutenberg, essas conversas irão arrebatar a todos.


A ilha do dia anterior


O navio de um jovem piemontês da pequena nobreza de Montferrato naufraga nos mares do sul. Agarrado numa tábua ele chega a outro navio, completamente desabitado, mas cheio de objetos e recordações. O náufrago revive, então, em sua memória, histórias que descortinam a cultura, a filosofia e a sociedade do século XVII.


Cinco escritos morais



São textos e discursos deEco escritos na década de 1990. Tratam de assuntos aparentemente díspares entre si, mas estão conectados por uma abordagem ética de assuntos da atualidade como conflitos internacionais, ideologias totalitárias, tolerância étnica e religiosa, o papel da imprensa na sociedade e questões sobre a própria ética.Parte inferior do formulário


O cemitério de Praga


Numa trama fantástica de complôs, falsificações e assassinatos onde aparece o jovem Freud prescreve terapias à base de hipnose e cocaína, o autor mistura teorias de destruição, satanismo, documentos falsos do caso Dreyfus, jesuítas que conspiram contra maçons, Garibaldi e a formação dos Protocolos dos Sábios de Sião. A única figura realmente ficcional na obra é o protagonista Simonini, embora, como diz o autor, basta falar de algo para esse algo passar a existir.


Baudolino


Baudolino é filho de camponeses do Piemonte, Itália. Ainda menino, conhece Frederico I, o Barba Ruiva. Sem saber a importância do personagem, inventa uma visão, profetizando sua vitória numa batalha. Após a mentira, cai nas graças do imperador e torna-se seu filho adotivo. A obra trabalha no difícil limite entre a realidade e a imaginação.

4 comentários:

  1. Ola amigo tem como postar o link ativo por favor?
    Este não esta mais ativo.

    ResponderExcluir
  2. Alias caso tenha em seu acervo o livro:Por quê "o nome da rosa"?, poste aqui se puder!

    ResponderExcluir
  3. Cara, poste de novo o link, de preferencia no googledrive... o 4share está com problemas. Preciso muito desses livros para minha dissertação de mestrado. Se puder, envie um email com um caminho onde posso encontra-los. Obg.

    (armandooliveira@live.com)

    ResponderExcluir
  4. Veja aqui:

    https://drive.google.com/folderview?id=0B_DypbA_7aTgVXBvNnBielc4S28&usp=sharing

    ResponderExcluir

Como Ler Bem e Rapidamente

Estudos de Linguística